Notícias

12 de julho de 2017

iCS leva delegação com membros da sociedade civil e dos governos de Brasília, São Paulo, Recife e Belo Horizonte para o Velo-City 2017


Entre os dias 13 e 16 de junho, as cidades de Arnhem e Nijmegen, na Holanda, foram as capitais mundiais da bicicleta. Elas sediaram a edição 2017 do Velo-City, principal conferência global com o tema de mobilidade urbana por bicicletas e planejamento urbano cicloviário. O iCS enviou uma delação com seis pessoas, dentre os quais quatro membros de governo (Sergio Avelleda, secretário municipal de Transportes de São Paulo; Eveline Trevisan, Coordenadora do PedalaBH na prefeitura de Belo Horizonte; Sideney A. Schreiner Jr., Diretor Executivo de Planejamento de Mobilidade da Prefeitura do Recife; e Natália B. Magaldi, Diretora de Ciclomobilidade da Prefeitura de Brasília) e dois parceiros da sociedade civil (JP Amaral, coordenador do projeto Bicicleta nos Planos, e Blé Binnatti, da Transporte Ativo).
Velocity1

Uma das maiores preocupações do Clima e Sociedade, de acordo com Walter Figueiredo de Simoni – coordenador do Portfólio de Mobilidade Urbana -, é colocar a bicicleta como parte de um sistema de mobilidade mais amplo, algo que países como a Holanda conseguem fazer muito bem. Por esse motivo, a participação no Velo-City é fundamental, uma vez que torna-se possível aprender com os resultados positivos alcançados na prática por outras cidades, além de conviver e gerar discussões com tomadores de decisões e formadores de políticas públicas que já passaram por dilemas semelhantes aos enfrentados pelo Brasil.

“Estar imerso nesses encontros agrega informações relevantes no sentido de ampliar o repertório e entendimento do papel da bicicleta numa sociedade de baixo carbono, além de aprofundar os conhecimentos técnicos e práticos no tema. Um outro aspecto importante foi a oportunidade que tivemos de convidar as pessoas responsáveis pela legislação cicloviária em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Recife. Agora, elas poderão promover uma discussão mais completa e plurissetorial dentro de suas prefeituras sobre as bicicletas, tentando traduzi-la para a vida real”, disse Walter.

Segundo JP Amaral, um dos temas mais recorrentes no Velo-City foi a governança, como por exemplo as técnicas de convencimento utilizadas para mostrar aos gestores públicos a importância da inclusão das bicicletas no sistema público de mobilidade – algo fundamental para os membros de governo presentes na delegação do iCS. Outro ponto de grande relevância foi a aproximação dos gestores com membros da sociedade civil presentes à conferência, considerada fundamental para a efetividade das políticas cicloviárias das cidades.

“Sem dúvida foi muito importante pelo intercâmbio e quantidade de informações e contatos, principalmente no compartilhamento de desafios comuns e oportunidades. Já há movimentos internos nas prefeituras para discutir as experiências trazidas do Velo-City a partir do olhar anterior sobre as demandas e dificuldades, o que é ótimo. Aliás, o trabalho desempenhado pelo iCS é imprescindível, pois atua como estratégia de influência política ao trazer pessoas-chave das prefeituras que podem, de fato, gerar resultados práticos. Trata-se de uma teoria de mudança muito positiva”, avalia JP.

A próxima edição do Velo-City acontece no Rio de Janeiro, entre 12 e 15 de junho de 2018.

2017. Todos os direitos reservados.