Avina

Desenvolvimento do Sistema de Estimação de Gases do Efeito Estufa (SEGEE) para o Observatório Climático

  • Organização: Fundação AVINA
  • Estratégia: Políticas Climáticas
  • Valor USD: $ 110.000
  • Ano/Duração: 2013 – 7 meses

Resumo

Esta concessão apoiará o estabelecimento de um sistema de base de dados da sociedade civil (criado pelo Observatório do Clima-OC em parecia com o IEMA, IMAFLORA e IMAZON) para produzir estimativas anuais de emissões de gases do efeito estufa (GEE) para o Brasil de uma forma transparente, acessível e facilmente replicável. (Nota: este projeto será co-finacinado pelas Fundação AVINA, Fundação OAK e CLUA.)


Resultados / Objetivos / Atividades

Os cinco maiores resultados do projeto serão: i) estimativa das emissões de GEE, por setor, no Brasil até 2012; ii) desenvolvimento de uma plataforma online para o SEEG; iii) lançar um Seminário Técnico para analisar e discutir as emissões de GEE no Brasil; iv) publicação de um Relatório Analítico sobre a importância das mudanças de emissões nos diferentes setores e suas relações com a política pública; e v) uma proposta para a manutenção e aperfeiçoamento do SEEG no futuro.


Destaques

O projeto do SEEG criou a primeira base de dados inteligente, transparente e completa sobre emissões de GEE do Brasil e continua atuando com a dinâmica necessária para a mudança na agenda climática nacional. A plataforma tornou-se uma importante fonte de informações sobre emissões de GEE, por setor, um repositório de informação para a sociedade civil e foi amplamente usada desde sua criação. Desde o lançamento, o projeto obteve inúmeras menções nos meios de comunicação, incluindo meios nacionais e internacionais. Após alcançar um impacto considerável na mídia, os desenvolvedores do projeto passaram a apresentar a iniciativa durante o COP 19 em Varsóvia, juntamente com representantes do governo. O sucesso do projeto tem provocado discussões a respeito dos próximos passos em direção ao avanço da transparência pública provocando forte reação do governo. Quando questionados sobre a disponibilização, transparência e alcance dos dados oficiais de emissão atualizados frequentemente, adotam uma posição defensiva como tentativa de justificar suas faltas de ações nessa área.

Influência da Sociedade Civil para Sustentabilidade Urbana (PISCSU)

  • Organização: AVINA – Fundaçao Avina
  • Estratégia: Transporte
  • Valor USD: $ 50.000
  • Ano/Duração: 2015 – 8 meses

Resumo

Esta concessão irá permitir que organizações da sociedade civil, Nossa Belém, Nossa NH, Nossa Brasília, Observatório do Recife e Nossa São Luís se engajem em problemas de mobilidade urbana, de gerenciamento de lixo e de mudanças climáticas. As organizações irão participar do desenvolvimento dos planos de mobilidade urbana e de gerenciamento de lixo de suas cidades, ligando-os à um grupo de indicadores transparentes que podem ser usados para monitorar suas implementações. Finalmente, a concessão irá permitir que essas organizações promovam debates, mobilizem campanhas e outras atividades que irão contribuir para a sua legitimidade como representante da sociedade civil. Uma pequena parte desta concessão será usada para fortalecer a estrutura nacional do Programa das Cidades Sustentáveis.

Se aprovado, essa será a segunda concessão dada à Fundação Avina para apoiar o Memorando de Entendimento assinado entre a LARCI, a OAK e a AVINA. Esse MdE gera esforços conjuntos para apoiar o Projeto para Incidência da Sociedade Civil para Sustentabilidade Urbana (PISCSU), parte de uma network brasileira mais ampla de Cidades Sustentáveis, Democráticas e Justas (RSBCJDS).


Resultados / Objetivos / Atividades

Essa concessão tem três objetivos principais:

  1. Apoiar a participação de todas as cinco organizações no desenvolvimento da mobilidade urbana de seus municípios de no plano de gerenciamento de lixo.
  2. Desenvolver indicadores e outras informações relevantes sobre mobilidade urbana e gerenciamento de lixo e disponibilizar essa informação para a população local.
  3. Promover campanhas locais e outros esforços de mobilização sobre tópicos relevantes, procurando melhorar o perfil do movimento e seu conhecimento técnico.

Métricas da Sociedade Civil para Sustentabilidade Urbana (Civil Society Metrics for Urban Sustainability)

  • Organização: Fundação AVINA
  • Estratégia: Transporte
  • Valor USD: $ 289.339
  • Ano/Duração: 2014 – 12 meses

Resumo

Esta concessão irá reforçar a capacidade da Rede Brasileira de Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis no que diz respeito a propor, monitorar e avaliar indicadores de sustentabilidade relacionados à mitigações das mudanças climáticas nos setores de gerenciamento de lixo e mobilidade urbana em cinco cidades alvo: Brasília, Belém, Belo Horizonte, Recife e São Luís. Critérios relacionados à sociedade, economia, meio ambiente e clima serão incorporados no objetivo mais amplo de atingir a sustentabilidade urbana. O projeto atual irá articular ideias, táticas e ferramentas para monitorar a implementação da Rede Brasileira de Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis em 2014.


Resultados / Objetivos / Atividades

Resultados para essa concessão incluem: i) consolidação do Programa de Cidades Sustentáveis como meio de promover uma melhora na política pública, no monitoramento da sociedade civil e da advocacia pública; ii) aumento na capacidade de movimentos locais da Rede Brasileira de Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis para promover a participação social no planejamento do governo e monitorar indicadores urbanos e orçamentos municipais (especialmente aqueles associados ao gerenciamento do lixo, políticas de mobilidade urbana e mitigação das mudanças climáticas.)


Destaques

O projeto está sob implementação. As cinco organizações locais organizaram seus times e estão atualmente desenvolvendo diagnósticos das áreas de transporte e de gerenciamento de resíduos sólidos municipais em cada cidade.